SaeR - Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco

RT SaeR Março 2012

Editorial
-disponível para download no final desta página-
 
O que fica
A crise de endividamento e as suas repercussões junto das economias desenvolvidas maduras
O cerne da questão não está na descrição dos sintomas da crise, mas sim nas sucessivas mutações da crise, que vai alterando a sua natureza à medida que evolui no tempo, que se difunde no espaço e que vai incorporando na sua dinâmica destrutiva as medidas de correcção que não atingem o objectivo para que foram concebidas.
Na complexidade da sua crise, Portugal ilustra a condição da análise multifactorial para a descrição e interpretação desta crise de endividamento: os decisores portugueses nunca poderiam aspirar a ter uma autonomia que os libertasse de respeitar a disciplina do euro e a contenção no endividamento. Alguns dos grandes factores de regeneração passam, assim, por serem exteriores a Portugal, originados na Europa e no mundo.
 
Análise de Conjuntura
A viabilidade política da austeridade face às necessárias medidas de crescimento económico
A nível da zona euro, a moeda única foi salva graças a medidas não convencionais de política monetária por parte do BCE (embora contestadas publicamente pelo Bundesbank). Esta intervenção teve como pressuposto o “fiscal compact” reflectido num Tratado (a 25 estados) cuja ratificação política poderá encontrar sobressaltos. Numa das várias leituras possíveis, este Tratado tem uma tradução macroeconómica não pacífica. Será viável política e economicamente uma austeridade “composta”, i.e., colectiva ou simultânea e conjugadamente?
Neste quadro, bom senso e pragmatismo no doseamento das medidas de austeridade e uma gestão das interdependências externas poderão ou deverão ser aspectos a reter na condução da política económica e de relacionamento externo.

Tema de Fundo
O futuro da nova governação económica europeia
Há um elemento fracturante da consolidação orçamental enquanto pilar da Governação Económica que vai continuar a dividir os Estados. Trata-se da coordenação da fiscalidade e das políticas fiscais de cada Estado-membro enquanto elemento fundamental da respectiva soberania. A Comissão continuará a fazer esforços no sentido de um paradigma de maior integração/federalização, sobretudo nos domínios relativos à consolidação da matéria comum colectável do imposto sobre sociedades, imposto sobre as transações financeiras e tributação da Energia. Mas qual será a estratégia e o caminho?

Estratégia e Competitividade
Contributo dos mercados africanos de expressão portuguesa para o desempenho das exportações nacionais
Para Portugal, no curto prazo, poderá revelar-se mais proveitoso prosseguir o estreitamento do relacionamento com países africanos de expressão oficial portuguesa que orientar o esforço exportador para o sudoeste asiático. Com efeito, a capacidade de penetração de produtos e serviços portugueses nos PALOP é considerável pela partilha da mesma língua oficial, mas sobretudo pelo rápido reconhecimento e identificação de valores, por parte dos consumidores locais, de marcas e imagens iconográficas do nosso país.

Espaços Económicos e Geopolítica
A China e o mercado global de energia
A China poderá continuar a utilizar as suas vastas reservas de divisas estrangeiras na alavancagem de investimentos. Em tempos de crise financeira internacional, o Governo chinês desempenhou um papel muito activo ao facilitar negócios a favor das empresas petrolíferas chinesas que pretenderam assegurar, a médio e a longo prazos, fornecimentos de hidrocarbonetos ao sector energético chinês. Também não foi esquecido um pacote financeiro e a criação de fundos para o encorajamento de empresas de energia do sector estatal para se expandirem no estrangeiro.
Relatório Trimestral SaeR

Para adquirir o Relatório SaeR, por favor utilize o formulário abaixo:

 (*)
 
 
 
(*)
 
 
(*)
Instruções de Pagamento:
Cheque em nome da SaeR Lda. / Transf.Bancária - [BES] NIB:0007 0036 0001575 0001 26
(*)
 (*)

Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório.
Consulte a nossa política de privacidade de dados.