SaeR - Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco

Estudos Sectoriais

As análises sectoriais na economia não são, habitualmente, orientadas para
a perspectiva de uma descontinuidade na evolução do sistema económico em que
esses sectores se inserem.

Cada sector é analisado em função do seu potencial próprio e a sua ligação
com outros sectores é função das suas interligações, mas não se atribui a um
qualquer sector a capacidade ou a potência para ser configurador da resolução
para uma crise de descontinuidade na evolução do sistema económico.

No entanto, há um efeito que torna essas empresas e esses sectores
dependentes da evolução conjunta dos diversos sectores que integram o mesmo
sistema económico.

Cada sector pode ser uma plataforma estratégica, mas o seu âmbito de
intervenção limita-se ao que forem as suas relações com outros sectores e, em
geral, apenas com empresas de outros sectores com as quais estabelece relações
de interdependência ou de subcontratação.

Estas redes de relações entre empresas e entre sectores definem-se, e
tornam-se mais densas, à medida que evolui também a intensificação das suas
relações.

A evolução de cada economia foi-se desenrolando nestes contextos de
co-evolução, e essa continua a ser a imagem de referência que se usa para
projectar o que podem ser os desenvolvimentos, as oportunidades e as limitações
de cada sector, mas não se pode esperar que as redes de relações que partem de
um sector venham a ser tão amplas que possam cobrir todo o sistema
económico.

Cada sistema económico nacional tem o seu perfil estrutural determinado
pelas características dessa sociedade, que vão influenciar as formas e os
limites de expansão dos diversos sectores.

Este perfil é definido pela conjugação de diversas variáveis. Com este tipo
de múltiplas condicionantes e determinações, compreende-se que a análise
sectorial num sistema económico seja subordinada ao que for a evolução do
sistema económico, não tendo sucesso estratégias voluntaristas de autonomização
de um sector como se ele pudesse ser independente do sistema económico em que se
insere.

A análise sectorial, habitualmente, não tem mais autonomia do que a que lhe
pode ser dada pela exploração das relações intersectoriais que se possam
estabelecer a partir de um certo sector, mas estará sempre integrada no que for
a evolução do sistema económico.

É com base nestes pressupostos que a SaeR define meticulosamente as
metodologias de análise que utiliza nos seus Estudos Sectoriais, que ao longo
dos anos tem vindo a desenvolver a pedido de várias associações e confederações
sectoriais nacionais.